Onde você está: Skip Navigation LinksPortal Agência CAIXA de Notícias > Default
Portal Agência CAIXA de Notícias
07/02/2017 16h15 - Atualizado em 07/02/2017 17h06
TAMANHO DA LETRA
IMPRIMIR

Minha Casa Minha Vida 2017: Governo anuncia mudanças no programa

Além de ter o teto do valor dos imóveis aumentado e a renda máxima das famílias reajustada nas faixas 1,5, 2 e 3, MCMV passa a atender a famílias com renda mensal de até R$ 9.000

Brasil, Economia

Minha-Casa-Minha-Vida-2017-Governo-Anuncia-Mudancas-Temer.jpgO Governo Federal anunciou, nessa segunda-feira (6), em cerimônia no Palácio do Planalto, medidas para revigorar o Minha Casa Minha Vida. Além de ter o teto do valor dos imóveis aumentado e a renda máxima das famílias reajustada nas faixas 1,5, 2 e 3, o programa habitacional passa a atender a famílias com renda mensal de até R$ 9.000. O MCMV vai contratar 610 mil unidades habitacionais até o final do ano.

Reinvindicação dos empresários da construção civil, a ampliação do limite de renda da faixa 3 para R$ 9.000 vai gerar novas oportunidades de negócio – a taxa de juros de 9,16% ao ano é inferior à do Sistema Financeiro da Habitação, que varia entre 11% e 12%. “A construção é um dos setores que gera emprego de forma rápida e umas das peças-chave da economia brasileira”, afirmou o presidente da República, Michel Temer.

Para o ministro das Cidades, Bruno Araujo, as medidas marcam um novo momento para o programa. “[Vão] Permitir que centenas de milhares de famílias acessem a casa própria. A renda de R$ 9.000 leva um novo espectro de brasileiros ao Minha Casa Minha Vida”, afirmou. O ministro destacou que as medidas foram aprovadas por unanimidade no Conselho Curador do FGTS. “São ajustes para atualizar o programa”, disse.

Minha-Casa-Minha-Vida-2017-Governo-Anuncia-Mudancas-Occhi.jpgReajuste com base no INPC
O presidente da CAIXA, Gilberto Occhi, destacou o reajuste na renda máxima das famílias enquadradas nas faixas 1,5, 2 e 3 do MCMV, feita com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que foi de 7,69% entre outubro de 2015 e dezembro de 2016. Na faixa 1.5, o teto da renda mensal passa de R$ 2.350 para R$ 2.600; na faixa 2, de R$ 3.600 para R$ 4.000; e na faixa 3, de R$ 6.500 para R$ 9.000. “O reajuste vai possibilitar que essas pessoas tenham acesso mais rápido à casa própria”, disse.

Minha-Casa-Minha-Vida-2017-Governo-Anuncia-Mudancas-Arte-2.jpg 

O aumento do teto do valor dos imóveis foi feito com base no Índice Nacional da Construção Civil (INCC), que foi de 6,67% entre outubro de 2015 e dezembro de 2016. Nas cidades de Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo, por exemplo, o valor máximo de financiamento passou de R$ 225 mil para R$ 240 mil. Nessas capitais, para famílias com renda mensal acima de R$ 7.000, o teto será de R$ 300 mil.

Leia também
Minha Casa Minha Vida 2017: Entenda o que muda no programa

  • Compartilhe »
Buscar Notícia
  • Selecionar uma data no calendário.
    Selecionar uma data no calendário.
Agência CAIXA nas Redes
  • ImprensaCAIXA ‏@ImprensaCAIXA
    .@CAIXA registra crescimento de 35% na contratação de crédito rural no início da safra 2017/2018… https://t.co/i14c77rVX4
    14 minutos atrás
  • ImprensaCAIXA ‏@ImprensaCAIXA
    🎥 Conheça a linha de crédito @CAIXA Produlote e os requisitos para contratação. https://t.co/fKS2bPIPkl
    60 minutos atrás
  • ImprensaCAIXA ‏@ImprensaCAIXA
    Acumulou! Nesta terça-feira (26), #DUPLASENA pode pagar o prêmio de R$ 3,3 milhões: https://t.co/qOgexGnDJp
    74 minutos atrás