Onde você está: Skip Navigation LinksPortal Agência CAIXA de Notícias > Default
Portal Agência CAIXA de Notícias
06/12/2018 16h40
TAMANHO DA LETRA
IMPRIMIR

Bolshoi une famílias em torno da carreira dos futuros bailarinos

Pais deixam local de residência e até emprego para acompanhar nova vida dos filhos na Escola do Teatro Bolshoi em Joinville

Santa Catarina, Cultura

2018-11-19_materia-05-interna-01.jpgIngressar na Escola do Teatro Bolshoi em Joinville (SC) representa uma mudança de vida para as crianças selecionadas. Nos próximos oito anos, elas terão uma rotina que inclui, além do ensino fundamental e médio, aulas de balé, ginástica, teatro, música, história da arte e literatura. A mudança acontece não somente na vida das crianças, mas também na dos pais, que na maioria das vezes, largam tudo para acompanhar os filhos.

É o caso da família de Júlia Lamas da Conceição, 13 anos, que faz balé desde pequena e quer ser bailarina profissional. "Conheci o Bolshoi, tentei vir para cá e consegui. Quero dançar e comover as pessoas com a arte", conta a futura bailarina, que se diz sempre muito esforçada. Aluna desde 2017, Júlia descreve o Bolshoi como uma escola diferente, onde os alunos conseguem chegar a “lugares grandes".

"Aqui aprendi muitas coisas. Nunca tinha feito essas aulas que são muito importantes para o balé. Faço aulas de ginástica, música, repertório", explica a estudante do 7º ano do ensino fundamental. A família viajou 1.035 km, distância entre Juiz de Fora (MG) e Joinville, para viver o sonho da filha.

2018-11-19_materia-05-interna-02.jpg“Quando a família falava com os amigos sobre a aprovação da Júlia na Escola do Teatro Bolshoi, sempre vinha a pergunta: vocês vão deixar a vida toda aqui: família, emprego?", conta o pai, Marco Aurélio Zuchi da Conceição. "A gente sempre fala que família não se negocia, é o maior valor dentro da nossa casa. Em momento algum pensamos em não estar juntos". E assim a família de Júlia começou a repensar a vida.

"Colocamos três cachorros no carro e viemos de Minas Gerais para viver essa mudança de vida. Foi uma aventura", fala o pai, que deixou uma vida profissional, amigos de infância e toda a família. O mais difícil foi chegar a uma cidade onde ninguém te conhece. "Não conhece a sua vida profissional, a sua vida familiar, não jogou bola com você quando era criança. É realmente um recomeçar".

Marco Aurélio trabalhava em Juiz de Fora como professor universitário e em uma consultoria. Pediu demissão da universidade e, mesmo de longe, tem conseguido manter a consultoria. É o que tem mantido a família na cidade catarinense desde o início de 2017. "As primeiras portas estão se abrindo. Fiz um trabalho de consultoria em Joinville e vou ser apresentado em umas faculdades por um amigo", conta o professor. "É como se tivesse começando a minha vida profissional agora”. 

2018-11-19_materia-05-interna-03.jpgA mãe, Márcia Lamas da Conceição, que trabalhava junto com o marido na consultoria, agora é dona de casa. Ela garante que a família não se arrepende de toda essa mudança. "Quando mergulhamos nesse mundo do balé junto com a nossa única filha, compreendemos que o ensino na Escola Bolshoi é diferenciado. Se ela quer o balé como profissão, é aqui que tem que estar", conclui.

Márcia gosta muito de Joinville e diz que a experiência tem sido satisfatória. "A gente quer ficar aqui. Quer que a vida profissional dê certo, apesar de estarmos longe dos familiares". Segundo ela, a família está mais unida porque os sonhos da filha também se tornam sonhos dos pais. "Depois que a gente olha para trás, vemos quanta emoção já vivemos juntos. Acho que a família se fortalece. O Bolshoi proporciona isso".

2018-11-19_materia-05-interna-04.jpg"Essa é a história de várias famílias. Às vezes não dá para virem todos, cada família busca encontrar um caminho. E isso que é bonito”, comenta Marco Aurélio. "Quando chego ao aeroporto, desço e penso: cheguei em casa. Tenho muitos laços em Juiz de Fora, mas a minha casa está aqui em Joinville".

Para ele, “a Escola é muito mais do que aula de balé. É uma formação humana. Independente das escolhas futuras da Júlia, acho que ela carrega o Bolshoi para o resto da vida. Vai desde a disciplina, a forma de encarar a vida, os desafios, o comprometimento, a responsabilidade. O Bolshoi trabalha valores para a vida", comenta o pai orgulhoso da conquista da filha.

Esta matéria é a terceira de uma série de cinco reportagens sobre a Escola do Teatro Bolshoi no Brasil que serão publicadas até a próxima semana.

Leia também:

Formação da Escola do Teatro Bolshoi é 100% gratuita e financiada com patrocínios e incentivos

CAIXA e Escola Bolshoi são parceiras em favor da educação, cultura e inclusão social

Estudante de Brasília vai para Joinville em busca do sonho de ser um bailarino profissional

Vídeos:

O menino Wender Santos busca o sonho de ser bailarino formado pela Escola do Teatro Bolshoi

Entenda como funciona o processo de seleção anual para a Escola do Teatro Bolshoi no Brasil

  • Compartilhe »
Buscar Notícia
  • Selecionar uma data no calendário.
    Selecionar uma data no calendário.
Agência CAIXA nas Redes
  • ImprensaCAIXA ‏@ImprensaCAIXA
    Atenção! ⚠️ A Fórmula Mágica do Natal @CAIXA promete muita aventura. Por isso, vá com roupas leves e sapatos confor… https://t.co/UzWYRlzF5X
    7 horas atrás
  • ImprensaCAIXA ‏@ImprensaCAIXA
    📽️ A magia do Natal já está no ar! Até 6 de janeiro, o público de Brasília pode participar da “A Fórmula Mágica do… https://t.co/mXUUAZuFF0
    7 horas atrás
  • ImprensaCAIXA ‏@ImprensaCAIXA
    Para celebrar a abertura da “A Fórmula Mágica do Natal CAIXA”, influenciadores digitais e jornalistas de Brasília f… https://t.co/2bsOM9tUxn
    9 horas atrás