Onde você está: Skip Navigation LinksPortal Agência CAIXA de Notícias > Default
Portal Agência CAIXA de Notícias
12/02/2019 19h30 - Atualizado em 13/02/2019 16h16
TAMANHO DA LETRA
IMPRIMIR

Porto Velho recebe o projeto CAIXA Mais Brasil

Grandes obras e projetos sociais foram o foco da visita à capital de Rondônia

Brasil, Economia

2019-02-12_rondonia-interna-01.jpgPorto Velho, capital de Rondônia, foi a quarta parada do programa CAIXA Mais Brasil, que pretende realizar 40 visitas a grandes cidades brasileiras, incluindo todas as capitais. A iniciativa tem por objetivo incentivar a bancarização, o microcrédito, a inclusão social, aproximando ainda mais a CAIXA da população. Também são incluídas na programação em cada localidade visitas a parceiros e potenciais parceiros do banco.
O presidente Pedro Guimarães define como tem sido estar mais próximo do Brasil por meio do projeto. “O resultado está sendo extraordinário. É uma inserção da CAIXA profundamente na vida da sociedade, e o resultado é saber como podemos fazer para melhorar continuamente”

Um dos pontos altos da visita do CAIXA Mais Brasil a Rondônia foi a passagem pela Usina Hidrelétrica Santo Antônio, que fica a apenas 7 km do centro urbano de Porto Velho. Entrando em operação em 2012, a usina no Rio Madeira já é a terceira maior usina do país em potência instalada. Atualmente, todas as 50 turbinas estão em operação comercial, com capacidade total de geração de 3.568 megawatts de energia, suficiente para abastecer uma população de 45 milhões de pessoas.

O presidente Pedro Guimarães destaca que a CAIXA tem uma participação muito importante na Usina por ser um dos principais financiadores da obra e por participar como sócia acionista por meio do fundo Caixa FIP Amazônia Energia, possuindo 20% do capital total do empreendimento. “Santo Antônio é um empreendimento muito emblemático para o Brasil, com essa capacidade tão importante de atender 45 milhões de pessoas. É um orgulho para a CAIXA fazer parte dessa história”, afirmou.

2019-02-12_rondonia-interna-02.jpgAlém de ser uma das maiores geradoras de energia do país, a Usina Santo Antônio também se destaca por investir em sustentabilidade. “Dos 20 bilhões investidos na construção, temos em torno de R$ 2 bilhões investidos em sustentabilidade através de ações socioambientais. Esse é um compromisso que a Santo Antônio Energia e seus acionistas têm com a comunidade local”, destacou o diretor de operações, Dimas Maintinguer.

A Usina desenvolve 28 programas socioambientais para contribuir para o desenvolvimento sustentável local. Os programas têm foco socioeconômico, como formas de compensação social e apoio à população ribeirinha, e ambiental, como projetos para preservação do solo, lençol freático, fauna, flora, qualidade da água, dentre outros pontos.

A equipe da CAIXA conheceu o projeto de remanejamento e monitoramento de peixes do Rio Madeira. Os peixes são encaminhados para um local que simula uma corredeira. Neste ponto, eles são capturados e identificados pela equipe de preservação. O objetivo é monitorar o caminho do peixe e, garantir que as barreiras da usina não impeçam a reprodução das 237 espécies que vivem no Rio Madeira.

Além desse investimento direto da empresa em sustentabilidade, o município, o estado e consequentemente a população, são beneficiados pelos repasses anuais de royalties. A partir de 2017, em plena operação, a Hidrelétrica Santo Antônio passou a pagar em torno de R$ 90 milhões por ano em royalties pelo uso das águas do rio Madeira. Os royalties referentes a 2018 serão distribuídos da seguinte maneira: 10% para a União, 25% para o estado de Rondônia e 65% para o município de Porto Velho. Os valores de repasse podem ser aplicados na educação, saúde e infraestrutura.

2019-02-12_rondonia-interna-03.jpgObras de infraestrutura urbana
Na agenda da sexta-feira (8), o CAIXA Mais Brasil realizou encontros com empregados da CAIXA no estado, com o prefeito Hildon Chaves e secretários, e ainda foi ao Palácio Rio Madeira, onde se encontrou com o governador Marcos Rocha e sua equipe. Depois de se reunir com a comitiva do banco, o governador de Rondônia destacou que a CAIXA está se mostrando parceira, trazendo propostas de inovação para o estado. “Tratamos de obras que ainda precisam ser finalizadas, de projetos de habitação para o futuro, questionamos sobre planos para o estado de Rondônia. Precisamos de propostas que venham melhorar, de verdade, a vida da nossa população”, disse o coronel Marcos Rocha.

Uma das obras que integraram a agenda do CAIXA Mais Brasil foi a drenagem na Av. Raimundo Cantuária, na Zona Leste de Porto Velho, que deve ser finalizada no próximo mês. Após a drenagem, o local receberá a pavimentação e as calçadas, com previsão para junho desse ano, de acordo com Rosane Gomes Ferreira, engenheira da CAIXA e responsável pela resolução das pendências junto à Prefeitura para retomada das obras.

“Foi um resgate da CAIXA, pois esta obra está vinculada a um contrato de 2009 da Prefeitura que estava com risco de cancelamento e devolução de recursos federais. O valor de investimento contratado é de mais de R$ 26 milhões, e incluem esta obra e outras metas de infraestrutura com pavimentação e drenagem, construção habitacional, trabalho social e regularização fundiária”, relatou a engenheira.

2019-02-12_rondonia-interna-04.jpg“Essa drenagem é essencial para a comunidade, porque além de a drenagem minimizar os alagamentos, a pavimentação dará acesso ao empreendimento habitacional Vitória da Conquista, que foi entregue há mais de um ano”, explicou Rosane Ferreira.  

A equipe da CAIXA, com a superintendente regional Maria do Carmo Gonçalves e o presidente Pedro Guimarães à frente, foi abordada pelo morador Aparecido Rei Pimenta. Ele citou todos os transtornos que passou, seja por não ter drenagem, seja por conviver com lama e entulhos de obras paradas durante tantos anos. "Essa drenagem está sendo muito bem-feita nesse momento. Se eles concluírem a pavimentação dessa rua na mesma qualidade dessa drenagem vai ser muito bom", observou o trabalhador autônomo, morador do bairro há mais de 30 anos.

Centro para múltiplas atividades para jovens e adultos
O Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU) do bairro JK na Zona Leste de Porto Velho também recebeu a visita do CAIXA Mais Brasil. No local são realizadas ações culturais, lazer, formação e qualificação profissional. Situado na Praça do PAC, o CEU recebeu investimento de R$ 2.020.000,00 de recursos da União por meio do Ministério da Cultura.

2019-02-12_rondonia-interna-05.jpgUma das atividades desenvolvidas no espaço é o projeto Leão de Judá, que ensina o jiu-jitsu com o objetivo de baixar os índices de criminalidade e promover a prática esportiva. “Nossa meta é transformar vidas de crianças que vivem em áreas carentes de Porto Velho por meio do jiu-jitsu”, comenta o idealizador, Michel Ihida que desenvolve o projeto há mais de oito anos.

Para a superintendente regional da CAIXA em Rondônia, Maria do Carmo Gonçalves, o CAIXA Mais Brasil está trazendo um novo olhar do banco para a região Norte do país. “Cada região tem as suas especificidades. Portanto, estamos muito felizes de receber esse projeto porque temos a certeza de que faremos grandes negócios a partir desse melhor entendimento sobre o que é que a CAIXA pode fazer pela região”, disse.

Confira o vídeo do CAIXA Mais Brasil em Porto Velho:

 
  • Compartilhe »
Buscar Notícia
  • Selecionar uma data no calendário.
    Selecionar uma data no calendário.
Agência CAIXA nas Redes